Ultimas

Post Top Ads


20 de abril de 2020

Coronavírus: Pandemia deve lançar mais 5,4 milhões de brasileiros na extrema pobreza em 2020

Coronavírus: Pandemia deve lançar mais 5,4 milhões de brasileiros na extrema pobreza em 2020
Família que vive em Parque Azul, Magé, no Estado do Rio de Janeiro Foto: Guito Moreto/Agência O Globo


Há quatro anos, a carteira assinada de Silvio Xavier, de 39 anos, deu lugar à informalidade. Desempregado, passou a ganhar a vida como vendedor de balas nos ônibus do Rio. Nas últimas semanas, com as medidas de contenção do coronavírus, a atividade informal se transformou numa luta pela sobrevivência.

Xavier, que nunca recebeu Bolsa Família, viu a renda cair de uma hora para a outra, resolveu se arriscar e voltar às ruas, contrariando as recomendações de especialistas e autoridades de saúde.

Ambulante Silvio Xavier, 39 anos, em ponto de ônibus, em Padre Miguel. Ele utiliza o transporte público para vender doces Foto: Ana Branco / Agência O Globo

Xavier é um dos 5,4 milhões de brasileiros que devem entrar na extrema pobreza este ano por conta da pandemia de coronavírus, segundo estimativa do Banco Mundial. A instituição também prevê retração de 5% no Produto Interno Bruto (PIB) do país em 2020, a maior em 120 anos.

Se isso se confirmar, o número de pessoas vivendo com menos de US$ 1,90 por dia ou R$ 145 por mês (o Banco Mundial usa câmbio diferente do atual para o cálculo porque considera a comparação do poder de compra entre os países), no país aumentará de 9,3 milhões para 14,7 milhões até o fim de 2020. A taxa de pobreza extrema chegaria a 7% da população, o maior patamar de miseráveis desde 2006, quando 7,2% dos brasileiros viviam nessas condições.

Auxílio Emergencial do Governo Federal

No domingo, a Caixa Econômica Federal informou que já foram finalizados 40,5 milhões de cadastros para o auxílio emergencial, sendo que 23 milhões tiveram os dados checados. Considerando os registrados no Cadastro Único, 17,9 milhões já receberam, segundo o banco. A estimativa é que 70 milhões de pessoas recebam.

O GLOBO
 

Nenhum comentário:

Seguidores