Ultimas

Post Top Ads


18 de junho de 2020

Caraubense apresenta pesquisa em evento internacional de inteligência artificial

Caraubense apresenta pesquisa em evento internacional de inteligência artificial


“Avaliando a Tradução Homem-Máquina com Mecanismos de Atenção para Sistemas Baseados em SQL para Indústria 4.0”. Esse é o tema do trabalho apresentado pelo mestrando, Silvan Ferreira da Silva Júnior, egresso do curso de Engenharia Elétrica da Universidade Federal Rural do Semi-Árido, Campus Caraúbas, apresentado na 2020 IEEE INTERNATIONAL WOORKSHOP ON Metrology for Industry 4.0 and IoT. Atualmente, Silvan Júnior é discente do Programa de Pós Graduação em Engenharia Elétrica e de Computação da UFRN. “Foi a Ufersa, mais especificamente o Campus Caraúbas, que me introduziu no meio acadêmico e foi onde obtive uma grande base de conhecimento que me possibilitou permanecer nesse meio e contribuir para a ciência” reconhece o mestrando.

Silvan Júnior explica que em decorrência da pandemia do novo Coronavírus a apresentação aconteceu de forma online. O trabalho que é objeto de pesquisa do mestrado sob a orientação dos professores Ivanovitch Silva e Allan Martins, consiste em utilizar uma arquitetura recente de redes neurais para o processamento de linguagem natural de forma que possibilite o desenvolvimento de novas interfaces humano-máquina para aquisição de dados em um ambiente de Indústria 4.0. “Basicamente, funciona de forma semelhante aos chatbots mais recentes que conseguem entender bem a nossa linguagem” simplificou acrescentando que o Chatbot é um programa de computador que tenta simular um ser humano na conversação com as pessoas.

Segundo o mestrando, o uso de bancos de dados relacionais está cada vez mais presente na indústria. Os aplicativos médicos, IoT e indústria 4.0 são exemplos citados. Silvan Júnior afirma que o sistema tem grande capacidade e eficiência no armazenamento e recuperação de dados, porém esse tipo de banco de dados requer conhecimento técnico em linguagens de consulta específicas para acessar essas informações o que distancia do público leigo. “Ao treinar a rede neural o resultado obtido foi um modelo de linguagem com uma precisão de aproximadamente 99% no conjunto de validação” adiantou.

Na prática a pesquisa é mais uma demonstração das possibilidades que surgem quando se aplica inteligência artificial em ambientes industriais. A pesquisa pode auxiliar bastante no desenvolvimento de ferramentas que deixem informações importantes nesses ambientes mais acessíveis, inclusive para usuários leigos.  “Acredito que a contribuição científica esteja justamente nesse desenvolvimento de novas formas de interfaces humano-máquina, que de certa forma impulsionam a pesquisa e possibilitam o surgimento de novas arquiteturas que possam ser aplicadas em diversas outras áreas” acredita Silvan Júnior.

O trabalho foi apresentado na conferência http://www.metroind40iot.org/


Assecom/Ufersa

Nenhum comentário:

Seguidores