Icém Caraúbas Câmara dos Deputados rejeita PEC do voto impresso - Icém Caraúbas Câmara dos Deputados rejeita PEC do voto impresso - Icém Caraúbas

Ultimas

Post Top Ads







terça-feira, 10 de agosto de 2021

Câmara dos Deputados rejeita PEC do voto impresso

Câmara dos Deputados rejeita PEC do voto impresso


Depois de ter sido rejeitada pela Comissão Especial criada para analisar o tema, a PEC do voto impresso foi levada ao plenário da Câmara dos Deputados pelo presidente da Casa, Arthur Lira (PP-AL), em sessão realizada nesta terça-feira, 10. E com 229 votos favoráveis e 218 contrários, a proposta foi rejeitada pelos parlamentares, uma vez que precisaria de 308 votos favoráveis em dois turnos. O texto do projeto contava com o apoio do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e de seus aliados. Entretanto, diversos partidos da oposição fecharam um acordo para rejeitar a proposta. A intenção do governo era que a PEC fosse aprovada para entrar em vigor nas eleições de 2022, que definirão o próximo presidente da República. Um dos principais argumentos é de que a ferramenta impediria possíveis fraudes no sistema eleitoral para o próximo pleito.


Após ter dito que estaria cogitando adiar a votação, Lira afirmou nesta tarde que colocaria a matéria em análise e que o presidente Jair Bolsonaro teria se comprometido a respeitar o resultado do plenário. “Se não passar, há um compromisso do presidente da República, e isso ficou claro, que cumprirá e aceitará o resultado do plenário da Câmara dos Deputados. É isso que eu espero”, afirmou o presidente da Câmara. Ele também defendeu um acordo “pacífico” entre os Poderes para aumentar a auditagem das urnas, o que é defendido por Bolsonaro e seus apoiadores. “Eu não posso, não devo nem tenho prova para dizer que o sistema não é correto, mas não custa nada nós chegarmos a um acordo pacífico entre os Poderes de se aumentar a auditagem das urnas”, disse.


No domingo, 1º, o presidente Jair Bolsonaro falou por chamada de vídeo com os seus apoiadores presentes nos atos a favor do voto impresso em Brasília, Belo Horizonte e Rio de Janeiro. Na ligação, ele voltou a condicionar a realização do pleito de 2022 ao voto auditável dizendo que, “sem eleições limpas e democráticas, não haverá eleições”.  Além disso, ele também vem tecendo críticas contra o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso. “Deveria ser o primeiro a estar do lado da transparência das eleições e está exatamente do outro lado. Provas se faz com indícios, quanto mais indícios, mais robustas são as provas. Se o povo exigir e me der essa carta, pode ter certeza, assim como a maioria do parlamento brasileiro, teremos eleições limpas, com voto democrático e contagem pública de votos”, afirmou Bolsonaro na ocasião.


Jovem Pan

Nenhum comentário:

Seguidores