Icém Caraúbas Homenagem: Um pequeno grande homem chamado Bolinha de Caraúbas - Icém Caraúbas Homenagem: Um pequeno grande homem chamado Bolinha de Caraúbas - Icém Caraúbas

Ultimas

Post Top Ads








21 de março de 2021

Homenagem: Um pequeno grande homem chamado Bolinha de Caraúbas





A data 20 de março, tem um significado mais que especial, data que se comemora o “Dia da Síndrome de Down”, e o Blog Icém Caraúbas está homenageando todos os caraubenses que tem Down, e também relembrar uma pessoa bem especial, que talvez foi o primeiro Down de Caraúbas, trata-se de Bolinha, que fez sua história com muita pureza, inocência e alegria.

Um dia um bebê recém-nascido, chamado Raimundo Felício de Sena nascido em 03 de dezembro de 1932, com sinais da Síndrome de Down, chamou a atenção de seus familiares, porém na época não existia esta preocupação para assistir estas pessoas com esse tipo de deficiência.

O fato é que ninguém esperava. Em meio ao desconhecido, o pequeno bebê, Raimundo Felício mais conhecido por Bolinha, que segundo sua irmã recebeu este apelido quando criança, porquê pedia sempre cocada a uma vizinha que sempre fazia para vender, mas tinha um detalhe, ele sempre pedia uma bolinha de cocada.... E assim está senhora o dava, e ficou chamando ele de uma maneira carinhosa que ficou marcado para sempre. Bolinha cresceu do inesperado, vindo das mãos de Deus por ser tão popular conquistou a todos com seu jeito alegre.

E assim cresceu este pequeno grande homem, talvez o primeiro cidadão caraubense, que teve a síndrome Down.

Raimundo Felício de Sena, nascido em 03 de dezembro de 1932, filho do senhor Francisco Felício de Sena, e sua mãe Antônia Maria de Jesus, eram em 06 irmãos sendo 01 mulher, e esta é a única viva dos irmãos, a senhora Leoniza Felício de Sena, que nos ajudou a construir esta história para relembrar as memórias de Bolinha seu irmão mais que especial.

Bolinha morava na Rua Souza Falcão, na rua da Antiga estação, hoje Casa de Cultura. Nasceu em uma casinha de taipa. De família humilde e sem informações para saber o que este homenzinho estava sentido ...o que se passava em sua mente.

Segundo sua irmã dona Leoniza, quando Bolinha nasceu, ele enfrentou muitos obstáculos para sobreviver, tendo em vista não ser uma criança saudável, ele passou 05 anos sem andar e falar. E um amigo do pai deles deu-lhe uma jumenta de presente para lhe ser tirado o leite e todo dia daria ao menino, e segundo ela, depois que ele bebeu este leite, ele começou a andar e falar... e ela ainda ressaltou que ele cresceu forte e saudável.

Bolinha em sua fase adulta, tornou-se figurinha conhecida na cidade, pois passava o dia andando no centro, e os lugares favoritos dele era na Mercearia de seu Quinca Almeida, mas sua paixão era mesmo no Hotel de Celso, que adorava ir prá lá, e junto de amigos como Celso o dono Hotel ( In Memoriam), Mãe Preta (In Memoriam), Solange e dona Cacilda, davam boas risadas das coisas de Bolinha e sua ingenuidade, sem maldade, sem malícia.

Nosso querido homenzinho era muito querido na cidade, como por exemplo o prefeito Dr. Aguinaldo Pereira que todas as vezes, que se encontrava com ele nos eventos fazia questão de registrar com uma simples foto, que para Bolinha, era a coisa mais importante da vida dele.

Sua sobrinha que ainda mora ao lado da casa que Bolinha morou, disse que ele gostava muito de andar, e morria de medo que alguém da família o trancasse, e na hora que fazia as refeições, saia logo em disparada.

Bolinha tinha um hábito de fumar de forma exagerada, talvez tenha sido este motivo que levou a falecer, pois sua sobrinha Selena que cuidou dele nos disse que ele pegou uma gripe muito forte, e não se tratou, provavelmente tenha morrido de tuberculose.

E hoje este blog tem a honra de lembrar as memórias deste homem, que foi presenteado por ter nascido diferente, um caraubense que nos passa a seguinte mensagem: que apesar das dificuldades Bolinha rompeu as barreiras e partiu para ser feliz......Não se importava com as pessoas negativas, se apegou as positivas e foi muito feliz de seu jeito simples de ser....o aprendizado foi enorme e isso é algo que se constrói. Aprendamos nesta tarde que ser diferente também é normal.

Bolinha faleceu no dia 19 de novembro de 2004, aos cuidados de sua sobrinha Selena na casa onde nasceu, próximo ao açude Saboia em Caraúbas.

Para entendermos melhor a doença:

A Síndrome de Down não é doença, como alguns pensam. “A síndrome de Down é um acidente genético, que ocorre ao acaso (?) durante a divisão celular do embrião”, nos informa o site da Fundação Síndrome de Down. Se na célula normal da espécie humana existem 46 cromossomos divididos em 23 pares, o indivíduo com síndrome de Down possui 47 cromossomos, sendo o cromossomo extra ligado ao par 21. É a chamada trissomia do cromossoma 21. Doença é algo que se contrai ou algo contagioso. A SD não é doença, definitivamente!

Agradecemos a Família de Raimundo Felício de Sena (Bolinha), pelas informações que foram muito importantes para construirmos suas memórias, nas pessoas de Selena (sobrinha), Iranete (Sobrinha), Nilson ( Sobrinho) e Leoniza (Irmã), agradecemos também ao Maestro da Banda Toinho Sales por algumas imagens.

Parabéns também a todos os downs e suas famílias, que transformam essa caminhada diária em momentos de alegria para todos.







5 comentários:

A VOZ DO CACTO disse...

Companheiro !!! Uma "Postagem" inesquecível, a história de Caraúbas,em seu inteiro teor...Bolinha, é uma figura, que ficará, para a POSTERIDADE, no Núcleo da História de nossa querida CARAÚBAS....PARABÉNS...THEO DE BRITTO

CASALDEZ disse...

LINDA E MERECIDA HOMENAGEM PARABÉNS!

Anônimo disse...

Bolinha um grande homem

Anônimo disse...

Bolinha

Anônimo disse...

Bolinha

Seguidores