Icém Caraúbas Historia do barraco mais antigo de Caraúbas e seu famoso dono: Vamos passear no barraco de Seu Duquinha? - Icém Caraúbas Historia do barraco mais antigo de Caraúbas e seu famoso dono: Vamos passear no barraco de Seu Duquinha? - Icém Caraúbas

Ultimas

Post Top Ads







sábado, 31 de julho de 2021

Historia do barraco mais antigo de Caraúbas e seu famoso dono: Vamos passear no barraco de Seu Duquinha?



Para relembrar: Matéria publicada em abril de 2015 - Reproduzida em 31 de julho de 2021


Quem nunca ouviu falar no Barraco São Sebastião em Caraúbas, e seu famoso dono “Seu Duquinha”, assim carinhosamente chamado por todos que o conhecem? O Barraco mais famoso que abre suas portas as 04:30 da manhã, para receber seus clientes há exatamente 30 ano a história de um homem, simples, alegre, brincalhão e querido por todos. Trata-se do senhor Manoel Lúcio Fernandes, residente na Praça São Sebastião Nº 50, que não faz cara feia pra ninguém, e é por isso que seu barraco é tão famoso e que já vem funcionando a quase 30 anos ininterrupto. Hoje vamos conhecer de perto e confirmar seu carisma, e ao conversarmos descobrimos em Seu Duquinha um homem sensível e fácil de se emocionar através de uma simples conversa.


Manoel Lúcio Fernandes, nasceu no dia 28 de maio de 1934, no Sítio Nova York, zona rural de Caraúbas, sendo filho de Antônio Carlos Segundo e Aguinalda Fernandes de Oliveira, sendo neto do famoso “Antônio Carlos” que atualmente seu nome é de uma escola de nossa cidade. Seu Duquinha é casado com Dona Rita Pereira Fernandes, tiveram 08 filhos sendo 4 homens e 4 mulheres, tem 09 netos e 04 bisnetos.


A história de seu barraco é bem inusitada e surgiu de um gesto simples de agradar aos amigos com uma pinga no seu local de trabalho.


Em 1967 seu Duquinha em sua primeira profissão que era marceneiro, trabalhava em um quartinho de seu amigo Nicó (ex prefeito In Memoriam), e não faltavam amigos em seu estabelecimento para bater um papo e vê este trabalhando, porém, para agradar aos amigos começou a servir pinga aos companheiros para passar o tempo, depois viu que dava pra conciliar, marcenaria e venda da pinga, e começou a vender, lá mesmo. Foi um sucesso, e assim seu Duquinha teve a ideia de comprar uma cigarreira, e só então em 1987, fixou seu Barraco batizando de “Barraco São Sebastião”, de frente a sua residência, onde muitos amigos tinham cadeira cativa, para tomar aquela pinga, para um jogo acirrado de dominó ou mesmo um bom papo.


Segundo Seu Duquinha no Barraco todo amigo que chega, sai informado de tudo que acontece na cidade, e isso foi confirmado pelos amigos fiéis de longa data que estavam lá no momento de nossa visita, como seu Fantico Sales, Edimilson Fernandes Pimenta, Valdir Canela e Sueton.


Seu Barraco foi visitado por muita gente famosa, ex prefeitos como Ozael, Nicó Fernandes, Guido Gurgel, também gostavam de vir bater um bom papo sobre o desenvolvimento de Caraúbas, e Seu Duquinha tinha sempre um opinião a dar. Sem falar que blocos carnavalescos passavam por lá, com o da famosa Mãe Preta.


No Barraco possui uma linda planta que dá sombra e um charme, uma das mais famosas plantas de nossa cidade “A Caraubeira” plantada pelo Professor Lourenço Gurgel, exatamente no ano de 1929.


Um homem que nunca foi a uma escola formal, mas que gosta de literatura de cordel, e que segundo ele, sua leitura não deixa a desejar pra nem um desses jovens de hoje. É um exemplo de vida e orgulho pra família, um senhor que sempre quer gente por perto, isso é um dom de Deus.


Hoje compreendemos o porquê quem passa por aqui, nunca esquece volta de novo, assim como acontece em janeiro de 10 a 20, dias em que os caraubenses ausentes visitam nossa cidade, e vários tornam para reencontrar esse amigo alegre.


Segundo seu filho Juninho, até o motorista do carro do Café Santa Clara que vem fazer a divulgação da festa religiosa de São Sebastião, todos os anos faz questão de trazer lembranças pra ele, e sentar-se um pouco no barraco. E no último dia de festa, faz questão de dá um até logo e que próximo ano estará voltando em tom bem forte no microfone do carro de som.


São amizades conquistadas como esta que dá orgulho para a família, homem sem inimigos, e com mil amigos...Esse é Seu Duquinha...Merece ser homenageado.


Fica aqui também versos da poetisa Socorrinha de Demilson, que é vizinha e o conhece muito bem.


• Conhecido em Caraúbas para mim grande figura, mora na casa vizinha; ´é um grande cidadão, toda hora brincalhão, o meu amigo Duquinha.

• Ele é comerciante, na sua luta constante, que é uma grande tradição; por ele ser tão querido, reúne sempre os amigos no barraco São Sebastião.

• Bem cedo o som vai ligando, os fregueses vão chegando, velhos, jovens e meninos, o mais constante acredito, é o amigo Fantico e o companheiro Salvino

• Na festa do Padroeiro, tinha um amigo verdadeiro que de manhã bem cedinho já tinha um horário certo grande locutor Ernesto pra tomar seu cafezinho.

• No Barraco um passatempo estava sempre presente, Zé de Albina e Nicó; eles jogavam o dia inteiro com as teimas rotineiras no jogo de dominó.

• Estão sempre revezando e o jogo continuando, sempre aquela confusão, vão ganhando Ozéias, Luíz Antônio e Pedro de Abraão.

• Tinha também um amigo, era o seu compadre Guido que frequentava o Barraco; e Duquinha já sabia que toda noite ele ia para o grande bate papo.

• O barraco é acolhedor chegando, chegando Zé de Sinô, vem logo abraçar Duquinha e apesar da distância recebe sempre as lembranças do amigo Xinininha.

• E quando chega à cidade , trazendo a sua amizade, uma pessoa bacana; que vem sempre ao seu barraco pra lhe dar um grande abraço, o amigo Pedrinho da FLAMA.

• E o melhor de Duquinha é quando serve uma cervejinha e o freguês não quer falar; ou fala da vida alheia ou pode se retirar.

• Quando chega um ”bêbado chato”, armando um grande barraco com sua chateação; ele vai logo avisando, vá passando aqui você não bebe não.

• As pessoas vão chegando sempre as piadas contando para alegrar o Barraco; Deusdete contando estórias que guarda em sua memória coisas boas do passado.

• Duquinha com o som ligado curte um forró danado, xote samba e cantoria; mas sempre com emoção ouve as mais belas canções de Eliseu Ventania.

• Mas em primeiro lugar, ele gosta de escutar o tradicional Baião; que curte ao som da sanfona guardando boas lembranças do saudos Gonzagão.

• O “ Barraco São Sebastião” já se tornou tradição quem frequenta sempre volta; todo dia toda hora vêm alunos da escola pra comer suas pipocas.

• Quero aqui pedir a Jesus muita força e muita luz pra Duquinha esse guerreiro; que batizou o seu “Barraco” pelo nome consagrado do nosso Santo Padroeiro.

• Aqui deixo essa mensagem em forma homenagem pedindo a Deus sua benção pra Duquinha muita paz pra sua família e aos demais do “Barraco São Sebastião”. Socorrinha de Demilson


Viviane Cristina - Repórter do Icém Caraúbas - Edição: Gidel de Morais. 

































Nenhum comentário:

Seguidores